sexta-feira, 28 de março de 2008

A Mário Viegas.

Voz, como furacão,
actor, encena-dor.
Fúria, de trovão.
Fingir, o maior Amor.

Politicamente incorrecto
Declamador superior,
Dono de muito raro intelecto.

Se todo o Homem é poeta,
que dizer de alguém,
que a amou, e fez dela dilecta,
casa, prazeiroso harém?

Que a viveu, como quem ama
mil paixões?
Que fez dela chama,
que incendiou mil corações?

2 comentários:

Alexandra disse...

Continua sempre!!!

1 beijinho

ana luísa disse...

fantástico .
e adoro os poemas dele ...

bjinho*