segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

A Pessoa. (III)

Angústia, do que escrevo.
Saber que sabem de mim.
Desaparecer sem fim.
Sim isso, eu subscrevo.

Do alto, só observar,
Aí sim, tudo é bonito.
Ah, e querer imaginar
que, não, nada é finito...

Um comentário:

ana luísa disse...

gostei particularmente deste .

bj *