domingo, 20 de julho de 2008

Ontem.

Dá-me a tua mão. Acalma os meus receios.
Deixa-me sentir o doce da tua boca
Não ser eu mais esta indefinição louca!
E poder, eternamente, adormecer em teus seios.

Os meus desejos, os meus objectivos...Lancei-os
ao mar e aos céus! (Num laivo da minha voz rouca
sussurro-te o meu sonho: Ter para sempre a tua boca.)
Afaga-me! Não me deixes só com meus devaneios.

Escuta-me! Ouve esta louca confissão
de quem sabe ter nascido para ser a tua paixão.
Dá-me a tua mão, e diz-me que queres partir.

Escuta-me! Quero ir, contigo ir, apenas ir...
Saber que só contigo sou maior!
E lembrar-te como preciso do teu amor!...

3 comentários:

Nuno Pedro disse...

uiiiii locura alexis ... partes me ''toda'' XD

abraço men , és um fenomeno literário

ana luísa disse...

Este está mesmo lindo, Alex ! :O

beijinho *

Tania disse...

Ver um racional a exteriorizar sentimentos é, sem dúvida, divinal!!
Adorei:)

Bjinho*