quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Ode ao dia feliz.

Hoje vou escrever - porque não? - de estar feliz.
Os meus textos nos demais dias são tristes,
depressivos e, pior que tudo, enfadonhos.

Hoje sinto-me com vontade de amar todo o mundo
e de sorrir dos meus gostos estranhos.
Hoje vou agraciar o meu gato chato,
o meu chato gato que mia como se
amanhã não houvesse um novo ano.

Hoje vou esquecer a crise,
as notícias deprimentes,
e vou correr por toda a chuva
a gritar-lhe, a ofendê-la,
e ao mesmo tempo, a indulta-la
por não mais me entristecer.

Hoje não me vou importar
com o tempo dado por inútil
e vou recolher todo o passado
num copo que beberei dum só trago.

Hoje vou agradecer por estar vivo
e por ser o que em mim vivi.
Hoje vou passear como quem nasce.
Hoje vou sentir, ver, respirar.

Hoje vou amar o outro,
como se fosse eu mesmo.

Hoje, nem que seja só hoje,
vou dizer que te amo
quando me olhar ao espelho.

2 comentários:

Ana Isabel disse...

Ants de mais tenho a dizer que acordas muito cedo.
Mas aquilo que realmente me interessa dizer é: Adorei.
A parte mais engracada é que ao ler consigo imaginar te a ver e a sentir tudo isso.
E os últimos versos: que tu faças com que seja sempre assim.

Se o texto é sincero hoje sinto-me realmente feliz por ti. =)

Tania disse...

Porquê? Só pq é o ultimo dia do ano? E entao bora "ser feliz"! Bah..
Excelente a tua ironia! :)Sinceramente n acredito q este fosse o teu estado de espírito, mas antes o estado de espírito de todos "nós" enquanto fingidores..
Se realmente foste sincero entao, ao contrario da ana isabel, n fico feliz por ti.
Texto fantastico!!

Bjinho*