domingo, 12 de outubro de 2008

O bem é cinzento.

Queres gozar com todo o Mundo?
Mostrar-lhes como estão errados?
Como são fúteis, inferioridades que não atingem a verdade suprema. A tua.
Sabes, eu olho por ti. E tenho-te pena.
Não sabes tu que ninguém está bem nem mal?
Que vamos estando.
Que vamos julgando saber o que fazemos,
escondendo o facto de estarmos mais e mais perdidos,
mais e mais imersos na escuridão e no vazio.
Não, não nos julgues. Como podes tu julgar-nos?
A sessão ainda mal começou

e o tribunal só decide no final.
Não finjas estar bem, saber o que fazes,
ser, sei lá, feliz... Não!
O mal somos nós que o fazemos. E o bem
é cinzento, e cada vez mais escuro.

3 comentários:

Tania disse...

De ti para ti? ;)
Gosto dos teus "recados"..

Bjinho*

jorge disse...

um texto bom para mim..
optimo que ja dê ;) (desc ontem n resp)

fica bem

Alexandre Fonseca disse...

nao era essa a intençao no inicio..
se acabou por ser, fica ao criterio de cada um...eu nao sei sequer...